A homenagem de Luiz Carlos Prestes a Carlos Marighella

Em 1979, já nos chamados anos de distensão da ditadura, foi publicada a lei da anistia que permitiu a volta de muitos dos exilados políticos ao país. Entre eles estava Luiz Carlos Prestes que participou da cerimônia de exumação de transporte dos restos mortais de Carlos Marighella, assassinado pela ditadura em 1969. Na ocasião do novo “funeral” de Marighella, Prestes como antigo camarada, proferiu um discurso demonstrando que embora tenham tido diferentes interpretações da realidade brasileira pós-golpe e, por isso, situado-se em campos políticos distintos, o Velho mantinha uma grande admiração pelo mais importante guerrilheiro do Brasil.

DIVULGAÇÃO | LEHMT-UFRJ lança novo site

Em processo de transferência e institucionalização para o Instituto de História da Universidade Federal do Rio de Janeiro, o Laboratório de Estudos de História dos Mundos do Trabalho (LEHMT) lança novo website para divulgação da produção intelectual do Laboratório.

DIVULGAÇÃO | A Oposição Sindical no Exílio

O conjunto de informações reunidas por Claudio ao longo de muitos anos de investigação lançam pela primeira vez uma luz sobre essa iniciativa de organização forjada pelos trabalhadores brasileiros que estavam banidos ou exilados na Europa após a instauração da ditadura civil-militar em 1964.

NOTA | Em defesa do GT Perus, contra a sua eventual extinção ou asfixia financeira

Interdisciplinar, composto por peritos formados em universidades nacionais e profissionais dos IMLs e da Polícia Federal, além de integrantes das equipes peruana e argentina de Antropologia Forense, o GT Perus realizou um trabalho exaustivo, que permitiu a limpeza de todos os restos mortais, armazenados em 1.047 caixas, e a análise minuciosa de cada indivíduo, uma vez que na vala havia corpos de mais de 1.500 pessoas, muitas delas pobres e marginalizadas, ocultados pelo Estado.

Site hospedado por WordPress.com.

Acima ↑