NOTA | Em defesa do GT Perus, contra a sua eventual extinção ou asfixia financeira

Interdisciplinar, composto por peritos formados em universidades nacionais e profissionais dos IMLs e da Polícia Federal, além de integrantes das equipes peruana e argentina de Antropologia Forense, o GT Perus realizou um trabalho exaustivo, que permitiu a limpeza de todos os restos mortais, armazenados em 1.047 caixas, e a análise minuciosa de cada indivíduo, uma vez que na vala havia corpos de mais de 1.500 pessoas, muitas delas pobres e marginalizadas, ocultados pelo Estado.

Site hospedado por WordPress.com.

Acima ↑